Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Monday, September 18, 2006

Relatos...


Ele (Peto) desenvolveu um sistema onde os músculos próximos aos nervos flácidos são estimulados e então estes induzem os nervos e músculos atrofiados a funcionarem em uma melhor condição. Ele desenvolveu uma série de exercícios para isto, e existe agora quase que uma nova literatura corporal neste assunto. - Bela Biszku-


Eu não me lembro de qualquer menção a uma sequer operação. Ele (Peto) era usualmente contra qualquer tipo de cirurgia, ele tentava resolver tudo de forma condutiva. -Lászlo Horváth-


Até onde eu sei o Instituto (Peto) se especializou mais tarde no tratamento de pacientes com acidentes cerebrais causados durante o nascimento, e outras dificuldades foram deixadas a parte para o tratamento. Quando uma pessoa portadora de deficiência tem um grupo de células sendo danificadas, um outro grupo de células pode aprender ou pode ser ensinada de forma que venha a substituir aquela função. E era assim que ele (Peto) estava habilitado para atingir tais resultados tão espetaculares com seus casos de hemorragias cerebrais causados durante o nascimento. -Dr. Katalin Hidvégi-


Ele (Peto) era uma pessoa de mente muito aberta, e estava sempre experimentando novas soluções; sempre pronto para refinar seu método. - Dr. Julia Dévai -


Em 1966 a Encyklopadisches Worterbuch der Sonderpadagogkik, escrito por KLEIN, comparou a Educação Condutiva com o método Bobath. E foi a partir destes estudos que o método de Andras Peto teve os olhos voltados para ele e chamou atenção do público internacional.


Berta (e Karel) Bobath estudou hemiplegia junto com Andras Peto, eles chegaram a fazer outros cursos juntos. Ela dava palestras em vários congressos tanto na Europa como América descrevendo vários métodos; entre eles Kobat, Roos, Deaver, Phelps, Doman. E foi depois de conhecer Peto que começou também a inserir a Educação Condutiva em suas palestras.


Visitaram o Instituto de Peto, Piaget e Luria.


Os resultados tinham que ser alcançados, nós não podíamos usar a falta de habilidade das crianças como uma desculpa. Não havia espaço para exceções. Todos os julgamentos e comentários negativos; e até mesmo os pensamentos negativos!, deviam ser evitados. -Mári Hári.

There is no bad children, only poor conductors. - Andras Peto- (vale a pena repetir!)


2 Comments:

Anonymous Rosane Burigo said...

Leticia E U A M E I!
Estou fascinada,não fazes idéia de como eu me orgulho de ti dessa tua garra,da tua luta incansável que a gente sabe que é muito necessário. Vai em frente querida,segue este caminho maravilhoso que há de proporcionar muitas alegrias para todos nós.
EU A C R E D I T O em vocês todos, no amor que vocês tem uns pelos outros.
O amor sozinho já REMOVE MONTANHAS, somado a todo este conhecimento,experiência e técnica vai ser maravilhoso!
FORÇA, FIXE OS OLHOS NO OBJETIVO SEMPRE, os obstáculos a gente dá um jeito.
Beijão em todos.

3:03 PM  
Anonymous Anonymous said...

Ver o homem de uma forma holistica, eh uma das caracteristicas mais fortes do metodo.
Ver voce envolvida e incorporada do metodo com tanta felicidade, eh emocionante e altamente contagiante.
Nada neste mundo eh por acaso.
Nao sei o quanto voce precisa da Educacao Condutiva ou o quanto a Educacao Condutiva precisa de ti.
Tenho certeza de que muitas pessoas se beneficiarao desta sua atitude.
Parabens minha nora e minha filha.
Voce eh um exemplo a ser seguido por todos nos.
Tenha certeza de que te amamos muito e queremos sempre estar junto de voces.
Alice e Guilherme.

3:45 PM  

Post a Comment

<< Home