Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Tuesday, October 02, 2007

Resumo oficina de EC no Congresso


A nossa participação no I Congresso Brasileiro de Motricidade foi muito positiva e descrevo brevemente. Palestramos em dois momentos, nas primeiras duas horas com a parte teórica das condutoras Raquel, Barbara e Becky, e em seguida com a prática. Dividimos a sala em três grupos e estes puderam experimentar em formato de circuito os programas deitado, sentado e em pé; e os próprios participantes foram voluntários para a realização dos movimentos.

Mais uma vez pudemos fazer o papel de divulgar a Educação Condutiva para estudantes e profissionais da área da saúde e educação. Agradeço o Professor Francisco que teve a gentileza que nos convidar para esta oficina e o apoio da UDESC-Cefid.

Raquel Labastida, condutora mexicana, falou sobre a história da Educação Condutiva descrevendo com empenho e emoção a vida de Andras Peto e os momentos de sua vida que inspiraram o desenvolvimento de sua teoria. Depois descreveu os princípios ressaltando para a consciência do movimento, onde o participante compreende a união das pequenas tarefas em seu todo.

Becky Featherstone, descreveu em detalhes a série de tarefas, e levantou pontos interessantes comparando os movimentos da Educação Condutiva com exercícios físicos. Os programas de educação condutiva não são exercícios. Os exercícos físicos são em sua maioria repetitivos, não precisamos de nosso cognitivo para realizá-los e geralmente trabalham partes separadas do nosso corpo.

Barbara Osaigbovo, aprofundou sua apresentação na definição da intenção rítmica. Buscar a realização dos movimentos dentro do ritmo estipulado atendendo as necessidades do grupo, do programa, da tarefa e do indivíduo. Destacou como objetivos imediatos a coordenação entre intenção e execução, coordenação entre tempo e espaço, desenvolvimento de habilidades para soluções independentes e ritmo.

A união destas três condutoras neste evento foi de muita sorte para aqueles que estiveram ali presentes, realmente uma oportunidade. Não saberia dizer se em algum outro momento alguém pode experimentar esta vivência no Brasil. Acredito que este momento foi único.

2 Comments:

Blogger Simone Zelner said...

olá Letícia! essas oportunidades são únicas mesmo não?! acho que a melhor maneira que temos para ajudar nossos filhos é compreender e para isso informação nunca é demais!
recebi da Samantha, um selo chamado" Blog Solidário" que estou repassando para vc, passe no meu blog para pegá-lo
beijos,
Simone

4:43 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Blog Solidario! Que legal, obrigada pela indicação! Um beijao Simone!
Leticia

1:26 PM  

Post a Comment

<< Home