Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Monday, September 24, 2007

Respirar antes


A gente menospreza o potencial de nossos filhos. Precisamos respirar mais.

A moral e a sociedade que vivemos nos fazem comparações automáticas que só nos fazem gastar energia, imaginando situações insensatas que queremos erroneamente equiparar com a condição que nossos filhos não têm.

Muitas vezes nos enquadramos no que o mundo a nossa volta nos faz raciocinar:
- Se ele não fala, então não entende o que eu falo. Erro!
- Se ele empurra a língua pra frente é porquê não quer comer. Erro!
- Se ela não senta, então é porquê não quer sentar. Erro!
- Se ele não escreve, então não sabe ler. Erro!
Errado, errado, errado! Tudo errado.

São estes automatismos de nossos pensamentos, sentimentos e ações que só nos emburrecem. Não temos o hábito de respirar, pensar e realizar. Uma tarefa simples, medíocre. Respirar antes de realizar.

Se estamos aptos a respirar, conseguimos escutar. Seja um comentário, seja um pensamento que vem de dentro da gente. Respirar nos dá a chance de poder refletir nossa verdadeira alma em nosso mundo, em nossa família e na vida de nossos filhos.

Respirar também nos dá a chance de escutar nossa intuição e de nos deixar levar por ela. Essa sensação que temos guardada aqui dentro, que não sabemos explicar porquê daquela forma agimos, porquê aquele caminho seguimos, porquê aquela sensação evitamos.

Respirar e escutar a nós mesmos, nos dá esta chance de poder valorizar ainda mais a oportunidade que vivemos.

4 Comments:

Anonymous Néa e Arthur said...

Ah como eu queria que as pessoas escutassem mais e olhassem a sua volta e penssassem que o que acontece a nós tbm podería acontecer com elas.Fui visitar uma escola bem conceituada em minha cidade e simplesmente a coordenadora disse que aceitaria o meu filho mas que realmente ela tinha medo que as crianças rissem do meu filho e que algumas mães não aceitariam a presença dele.Realmente não sei se essa pessoa deveria respirar muito, aliás acho que esse tipo nem respirando muito.
Letícia desculpe o desabafo!
Um grande beijo

3:24 PM  
Anonymous Fabíola said...

Oi Lê,

É isso, respirar, ouvir, sentir, olhar nos olhos... Tantas coisas que a vida corrida do dia a dia nos fazem banalizar e esquecer...
Temos muitas formas de nos comunicarmos. A fala e apenas uma delas.
Mais uma que vc me lembrou.

Bjs do coração.

Fabíola

6:26 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Nea, vejo isso todos os dias. Sempre uma mae comentando sobre a aceitacao do seu filho na escola.. Comigo ja aconteceu tambem! Ai ai... cade o amor desse povo ?

1:20 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Oi Fabiola,
Adorei te ver no Congresso. Um beijo e obrigada por passar aqui... :)
Leticia

1:21 PM  

Post a Comment

<< Home