Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Thursday, May 31, 2007

Intenção Rítmica


Cada um de nós temos um ritmo. Para falar, para pensar, para executar. Somos diferentes. Certamente. Este ritmo é de cada um e precisa ser respeitado, individualizado. Assim também é na Educação Condutiva.

Existe a intenção rítmica do grupo e também a intenção rítmica do indivíduo. O grupo executa um movimento de levantar os braços, 1, 2, 3 (leia de forma pausada os números). Este grupo trabalha junto e em pouco tempo entra em um mesmo ritmo e passa a executar este movimento de forma ordenada, com as ordens já pré-programadas, com a rotina já estabelecida, seguindo o ritmo do grupo. Aquele 1, 2 , 3, já tem um novo ritmo, passa a ser citado de forma mais acelerada, dando importância para a próxima função, como se aquela já estivesse sido assimilada e incorporada.

A intenção rítmica do indivíduo é trabalhada principalmente nos momentos de prática individualizada, por exemplo na caminhada. Cada criança tem seu ritmo, aqueles que precisam de um estímulo mais acentuado seguem uma contagem harmônica, 1 e 2; 1 e 2 (leia de forma pausada), sempre igual. Já aqueles que são por sua natureza mais acelerados, e com isso, não conseguem estabelecer o ritmo da caminhada, pelo excesso de ansiedade, seguem um ritmo mais tranquilo, com uma pausa, por exemplo, 1, 2 e pára; 1, 2 e pára.

Imagine você dirigindo, as primeiras aulas de direção. No primeiro momento tem que `pensar` muito, o que eu faço, que pedal eu aperto, em que momento eu devo trocar as marchas. E acontece de andarmos uns bons quilômetros em primeira marcha, esquecer de dar a seta. Muita coisa pra pensar junto! Precisamos adquirir um ritmo, para conseguir dirigir de forma harmônica, sem ter que pensar para realizar aquela atividade. Em pouco tempo algumas funções se tornam automáticas, com a prática se aprende a seguir o ritmo desejado.

O papel do condutor é estabelecer um programa que satisfaça as necessidades do grupo e também de cada criança. Organizar e direcionar a criança para encontrar sua própria forma e ritmo, com adequado auxílio quando necessário. Existem grupos, crianças e tarefas que têm a sua própria e adequada intenção rítmica. Não acontece sempre e não é em todo o exercício. O condutor irá conduzir as atividades de forma que se `cante a música`. Assim como o maestro que organiza e lidera a orquestra para diferentes instrumentos, juntos, em sintonia, tocarem a mesma melodia.

2 Comments:

Blogger Cristiana Soares said...

Ninguém traduz melhor a EC do que vc!

12:05 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Cristiana
Fico lisonjeada... Procuro repassar o que estou aprendendo. Da minha forma de aprender...
Um beijo
Leticia

9:26 AM  

Post a Comment

<< Home