Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Monday, May 07, 2007

Me surpreenderei com a diferença


Desde que meus filhos nasceram nunca fui muito de confiar na observação das pessoas em relação a eles. Como eu sempre enxerguei eles de forma diferente, sempre achei que aquelas pessoas a minha volta também os viam assim. Foi com o tempo que percebi que as pessoas não estavam olhando pra `diferença` deles, mas para eles como bebês gêmeos, que por si só, sendo gêmeos, já chamam atenção.

Muitas vezes um olhar curioso, singelo, sincero. Fui aprendendo com o tempo a ficar percebendo as feições das pessoas, a forma como elas analisavam os meus bebês. Alguns com olhar de fuxico, outros apenas com amor. Passei a diferenciar este olhar, na verdade, a aceitar todos eles. Cada um na sua diferença, na sua percepção, na sua vivência.

Não é apenas um olhar, mas uma observação, mesmo em tom alto, ou na sua pura ingenuidade, questionar o evidente, ou o diferente. Perguntas das quais:
Eles são doentes?
Eles são irmãos? Vieram assim?
São dois é ?
Hoje respondo com um sorriso, aliás sorrio também para aquele que finge que não me vê. Mas cada momento deste sorriso me vejo mergulhar na vida pessoal daquela pessoa, em o que ela poderia fazer para viver melhor, nas oportunidades que elas não tiveram em poder estudar mais, ou na forma de educação que tiveram. Tentar conseguir trocar aquela sorriso amarelo, por um verdadeiro, cheio de amor.

Não me chateio e nem me faz mais mal, apenas sorrio. O que de mais bonito eu posso passar para estes olhares curiosos que não um belo sorriso? E sabe o que eu tenho colhido? Mais que somente sorrisos, tenho sido abordada por pessoas amigas e outras nem tão conhecidas que fazem questão em vir me falar do desenvolvimento dos meninos:
- Nossa eles estão ótimos!
- ...eu que acompanhei eles desde bebês, como estão diferentes.
- Que tipo de trabalho vocês têm feito com eles? Quanto estímulo.
- Eu fiquei espantada! Espantada não, surpresa, com tamanha diferença.

Já não sei se isto é retrato de meu sorriso ou, mais uma vez por não confiar na observação das pessoas, passo a não confiar no desenvolvimento que meus filhos tiveram a olhos vistos. Para quem vê, para quem percebe, para quem me aborda para relatar. Eles mudaram sim, estão melhores, mais espertos, mais maduros, mais sociáveis. Eu tenho que dizer que o que fiz de 'diferente' neste últimos anos, foi investir na Educação Condutiva.

E repito não só pra eles, mas pra mim também. E quero me surpreender também com esta diferença. A cada dia mais.

7 Comments:

Blogger Cristiana Soares said...

Letícia, às vezes, eu sinto pena de quem olha para a minha filha com um olhar de pena, sabia?

Pena por essa pessoa não conhecer a dimensão de uma vida diferente da dela. Na verdade, a vida desse tipo de pessoa, em geral, é bem estreitinha. Dá dó.

Tb sinto compreensão quando o olhar é de curiosidade. Pois acho isso natural, quando estamos diante de algo que não conhecemos.

Então, eu sempre digo que até hoje não vivenciei o preconceito em relação a Luísa. Porque simplesmente eu não sintonizo com ele (o preconceito).

E tem uma coisa legal que é o seguinte: nossos filhos são uma espécie de filtro, que separa o joio do trigo. Só se aproximam as pessoas mais bacanas. Já percebeu isso?

10:10 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Ótimo Cristiana, ótimo!

7:34 AM  
Blogger Grilinha said...

Subscrevo a opinião da Cristina Soares. Escrevi um post sobre isso, chamado "selecção natural". Tenho agora descoberto pessoas fantásticas, pois tenho a capacidade de atrair gente mais atenciosa, menos preconceituosa e muito mais "bonita interiormente". E isso para mim é o que interessa. Os outros pouco me importa. Quero saber de construir amizades com pessoas fantásticas, não pessoas superficiais e que têm uma visão da vida muito limitada. Um beijinho

11:09 AM  
Anonymous Anonymous said...

Lê, aproveitando que estamos perto do dia da mães, quero aqui "declarar" minha admiração por você. Mãe exemplar, tenho orgulho de ser sua amiga. Fico feliz pelo seus três pimpolhos, quanto amor... Seus artigos são maravilhosos, agradeço pela oportunidade de aprendizado. Beijos, Anginha.

9:33 AM  
Blogger isabelpaiva2510 said...

Ola MÂE! Como eu te compreendo....E passo a explicar o porque. Eu trabalho numa associação de deficientes mentais e sinto precisamente a mm coisa qdo vou com as crianças fazer treino social. As pessoas são tão ESTUPIDAS (sim esse é mm o nome) que os comentarios deles são exctamente os mesmos. Fico fula mas é esta á nossa população....!!!! Elas são crianças que realmente nos ensinam muita coisa e sempre com aquele sorriso no rosto. Gosto muito do que faço e a unica coisa que posso dizer é FORÇA.Um bj muito grande para todos vós.

3:13 PM  
Anonymous Néa e Arthur said...

Let´cia ouve um tempo em que me preocupava muito com os olhares e comentários das pessoas e isso me incomodava muito,mas graças a DEUS não tenho mais esse problema o amor que sinto pelo meu filho fez com que eu tbm passasse a olhar as pessoas de outra forma e entender que a maioria não sabe lidar com o diferente.Procuro mostrar as pessoas que o meu filho só precisa ser amado e respeitado !

Um grande abraço e Feliz dia das Mães!

7:57 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Aos ensinamentos que temos a oportunidade de receber, em virtude de nossas VIRTUDES! Um Feliz dia das mães Cristiana, Grilinha, Angela, Isabel, Néa, e todas a mães de grande coração e sensibilidade.

Com muito amor,
Leticia

8:35 AM  

Post a Comment

<< Home