Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Tuesday, January 16, 2007

Vontade de fazer


Qualquer atividade exercida na Educação Condutiva tem o princípio de independência. O indivíduo é tratado como um ser útil e dinâmico. Não se fala de vestir alguém, alimentar alguém ou dar o banho em alguém. Fala-se em vestir-se, alimentar-se, lavar-se.

Muitas vezes estamos prontos para 'ajudar', para ir até ele e secar, esfregar, vestir. Mas muito mais importante que esta ajuda e solidariedade é deixá-lo fazer.

Meus filhos não andam, mas teimam em andar! Querem que os levemos por todos os lados. Nós seguramos eles pelo tronco e eles dão os passos voluntariamente. Pouco a pouco percebemos que nosso esforço não é segurá-los, mas dar equilíbrio para que eles sigam o destino e a ordem do dia : Mãe, hoje queremos ver todos os tapetes da casa!

Tenho consciência de que eles não estão caminhando, e que seus pés, ou joelhos, ou quadris, não estejam bem posicionados; mas eles estão podendo deslocar-se de acordo com a vontade deles, indo aos lugares de interesse deles e viver uma experiência nova. Cada novo tapete é um nova conexão cerebral, é uma curiosidade que é sanada e uma nova atividade é despertada.

Hoje a ordem do dia é : Mãe quero subir escadas! Ele não tinha força e nem 'maturidade' para levantar o pé a cada degrau. Agora aprendeu, que tem que fazer um esforço diferente. E eu não os deixo parar, vamos lá. Tem que subir e subir, sem cansar.

Os exercícios para a independência estão aqui, em volta da gente. A escada pra subir, a rampa pra fortalecer, a areia da praia para sensorizar. A farinha de trigo para amassar, o sagú para esfregar, a gelatina para experimentar. Vamos trabalhar a vontade de fazer, enquanto eles não têm como realizar. A mente deles tem que estar forte e preparada para o momento que o corpo acordar!

Amém.

10 Comments:

Anonymous NÉA e ARTHUR said...

Letícia estou super emocionada com o seu texto,vejo que realmente encontrei alguém que vê nas nossas crianças algo tão especial que as outras pessoas não tem a sensibilidade de ver.Como é importante tudo que você escreveu,o amor e o estímulo são capazes de fazer milagres.
Vamos manter contato , que Deus abençoe a sua vida para que possas continuar abençoando a nossa.


Beijosssssssssss

3:51 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Néa : Amém!

Com amor, Leticia

6:09 PM  
Blogger Grilinha said...

Conheci este blog através da Néa e estou a adorar. Vou ler tudo com muita calma e saborear a tua escrita e a tua forma de estar no mundo que é simplesmente MARAVILHOSA. Que bom conhecer-te, Leticia. Um beijo

6:34 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Grilinha,
Que a gente esteja sempre preparada para despertar em nossos filhos esta vontade de fazer... É aí que começa...
Obrigada pela visita por aqui! Desde Portugal! Uau!
Leticia

8:25 AM  
Blogger Dinha said...

Sabe Letícia, venho aqui e releio teus textos tantas vezes... Não sei se é porque o Caio ainda é muito novinho (1a8m - será?), mas ele ainda não tenta fazer muita coisa, exceto sentar e pegar alguns objetos. Não vejo ele consciente para suas capacidades. E sofro e me questiono - serão problemas cognitivos ou ele simplesmente ainda não está pronto? Tenho muita fé de que ele há de se superar e busco todas as alternativas possíveis para manter seu cérebro "ligado". Uma tomo feita ano passado apontou que ele, em um ano, passou de um cérebro 80% lesionado para um cérebro 5% lesionado, com uma neuroplasticidade fantástica (palavras de sua neurologista). O nosso trabalho (ainda segundo ela) é estimular ao máximo este cérebro para que ele possa recuperar o déficit do tempo em que esteve "doente". É tudo o que quero e procuro.
Bjs em vc e nos seus queridos.
Desculpe o longo comentário...

3:07 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

"exceto sentar e pegar alguns objetos..."
Dinha teu filho brinca, se diverte e pode comer sozinho! Olha que delícia!
Dúvidas sempre temos, e sempre teremos! Sempre vamos nos questionar! Mas... pra que sofrer? Se TU não acreditares nele... QUEM vai acreditar?

Com amor...
Leticia

7:35 PM  
Anonymous Gabi said...

Queridos, querem ver os tapetes...
É tão bom ver a força de vontade deles, e principalmente a da mãe deles em ajudá-los a fazer tudo que eles desejam! Queridos que a gente ama tanto!
Um beijãooo
Gabi

10:59 AM  
Anonymous Anonymous said...

Puxa, que legal!!!
Os meninos continuam aprendendo e crescendo pelas rotinas da casa.
Crescer fazendo escolhas, experimentando a vida... é tudo o que precisamos.
Parabéns por tudo.
Logo irei visitá-los na nova escola.
Beijos
Gracia

7:25 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Oi Gracia!
Puxa venha nos visitar logo!
Leticia

7:07 PM  
Anonymous Anonymous said...

Quem vê pensa que a mãe deles faz sagú?!?! hahaha
Mas a Dinda vai ensinar!pfff
Demais Lê!
Beijosss

1:41 PM  

Post a Comment

<< Home