Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Friday, October 20, 2006

Tratamento e Ensino


É comum as pessoas me perguntarem como é o 'tratamento' que meus filhos estão tendo. A palavra tratamento leva a uma percepção errônea da situação, já que um tratamento sempre 'cura' alguma situação. Mas a paralisia cerebral não é uma doença. Ela não progride, não se altera, não muda. Uma vez tendo aquela 'cicatriz' ela ali permanece e da forma como ela ficou ela será. Não tem 'cura'.

Ontem eu ainda via um programa no Channel 4 falando sobre danos cerebrais. Era um testemunho de um adolescente que se meteu em briga de amigos, levou uma tijolada na cabeça e ficou com uma lesão no cérebro. A partir dali não se sabe a proporção da lesão no dia a dia na pessoa, mas ela terá sempre uma lesão.

De maneira geral crianças com paralisia cerebral são classificadas com as seguintes dificuldades :
a) motoras
b) de comunicação
c) funcional
d) de aprendizado
e) psicológicas
Todos estes sintomas, causados pela mesma causa ocorrida no cérebro, é normalmente tratado individualmente pelo terapeuta apropriado, em sessões específicas, orientadas e individuais. A criança passa então por diversas terapeutas que trabalham cada uma a sua área.

O Professor Peto já unifica esta visão e trabalha todos estes sintomas sobre o mesmo guarda-chuva. Ele enxerga a criança com uma falta de habilidade em aprender neste seu ambiente de insegurança e confusão. A Educação Condutiva é organizada de uma forma que permita a criança o aprendizado. A sala, os condutores, os horários e o programa que permite a criança um ambiente seguro, estimulante e motivante.

Então não se usa a palavra tratamento, mas sim o ensino através de uma escola que ensina meus filhos a realizar as funções que eles não tiveram a oportunidade de aprenderem sozinhos. Na escola eles recebem os objetivos que devem ser alcançados. A cada objetivo alcançado se passa a um outro objetivo, e assim por diante até desenvolverem as funções básicas e necessárias visando sua independência.

1 Comments:

Anonymous Gabi said...

Lê, tô aprendendo a cada "blogada". Tô adorando!
Saudades de vcs...
Beijos
Gabi

10:55 AM  

Post a Comment

<< Home