Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Tuesday, October 31, 2006

Meu objetivo: brincar!


Definir objetivos faz mesmo parte de nossas vidas. Ao sair de casa pela manhã, logo planejamos o nosso dia com as inúmeras tarefas a serem realizadas, entre elas ir ao mercado, comprar o presente, passar no correio, fazer uma aula de ginástica, pegar as crianças, levar na fisio, depilar, comprar salgado pra janta, passar no posto. E quando chegamos em casa, na hora do banho, í! esqueci o presente!

Para meus filhos os objetivos são no seu dia-a-adia, e principalmente aquisições motoras. Hoje em dia a diversão deles é poder andar. Eles não podem, mas querem. Ao chegar em qualquer lugar eles querem sair de seus carrinhos e sair por aí andando. Essa é a diversão do momento, querer andar. Nós já não podemos estar por tanto tempo, segurando pelo tronco e dando equilíbrio para que eles possam dar seus passinhos.

Eu queria poder ser forte o suficiente para não cansar! Na verdade queria mais, queria poder ter todos os braços que pudesse ajudar, a segurar os dois, ligar o dvd, trocar a música do ipod, e a fralda que está cheia já, além claro de enchê-los de abraços e cosquinhas, todos juntos no meu colinho, como eu podia fazer quando eles eram uns tiquinhos...

Sei que estes passinhos que eles querem dar não são dados de forma correta, mas a intenção de querer sair do carrinho e de se mover, eu considero muito importante. Na verdade já não considero mais o que não deve ser feito, porque senão, sei lá o quê. Nós também fazemos coisas que não devem ser feitas, mas mesmo assim saímos pra beber, fofocar ou chorar. Aqui vejo que o próprio movimento do andar proporciona uma outra visão do ambiente, e eles mesmos podem 'se guiar', já que na maioria das vezes eles estão 'sendo guiados'.

Meu próximo objetivo nesta situação, para meu pesar, é a aquisição de uma cadeira de rodas para cada um. Eles estão pesados e os carrinhos de bebês já não servem mais pra eles. Uma cadeira do seu tamanho, com suas medidas, será muito mais adequada para que eles possam estar 'bem sentados' e com isso ter a possibilidade de usar melhor seus braços, perceber a rua e quem sabe brincar.

Ontem mesmo, quando recebi a visita de uma terapeuta ocupacional, ela me perguntou o que eu queria como aquisição para meus filhos nos próximos meses, e foi isso que eu respondi: Quero que eles possam brincar!

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Letícia, querida!
Se me permites te dizer, és uma mãe polvo!E que, em cada braço teu, pulsa um coração forte, meigo, generoso e incansável.
Saudades...
Gracia

7:39 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Gracia, querida! Quanto elogio! Amei! Tu sim, precursora de educação condutiva e mulher polvo, com um coração gigante pra abraçar todos nós! Beijão.

6:16 PM  

Post a Comment

<< Home