Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Friday, October 20, 2006

Ester Cotton: pioneira


Ester Cotton trabalhava com Dr. Bobath e foi passar férias na Hungria onde iria rever uns amigos. Por sugestão dele foi ver o que Dr. Peto fazia. Quando estava lá pensou até em não ir, afinal ela trabalhava no melhor centro de fisioterapia que já se tinha tido notícia, em um país desenvolvido e rico, o que ela iria fazer no seu tempo livre que tinha de férias ! Mas lembrou da insistência de Dr. Bobath e foi.

Depois de um dia de visitas no Instituto, e ser recebida pessoalmente por Andras Peto, ela se descreve cansada, confusa e muito impressionada com o trabalho que ela viu naquele país que ela tinha ido por acaso.
Ao chegar a noite ao hotel, ela não conseguia mais parar de pensar nas crianças que tinha visto, como eles conseguiam aqueles resultados. Resolveu passar uma semana por lá, dentro do Instituto. Era o ano de 1964.

No outro dia ela se dirigiu ao Dr. Peto com a seguinte pergunta:
' Dr. Peto como àquelas crianças conseguem realizar estas atividades por elas mesmas ?'

E ele respondeu:
' Porquê é isto que eu espero delas.'

A Sociedade de Espasticidade da Inglaterra foi a primeira instituição a financiar esta fisioterapeuta, um ano mais tarde, à ir a Hungria estudar o método Peto. Foi ela que trouxe a Educação Condutiva para 'fora' da Hungria. Foi a partir de artigos publicados por ela, em inglês, que outros países tiveram acesso ao método.

Seu primeiro artigo publicado em 1965 foi 'The Institute for movement therapy and school for conductors.' publicado nos anais do Congresso de neurologia da criança e desenvolvimento da medicina. Depois destes foram inúmeros trabalhos, livros e muitas memórias pra contar.

Em 1967 morre o Dr. Peto sem chegar a ver a Educação Condutiva fora do reduto de seu país. O primeiro centro inicou seus trabalhos em 1968, na cidade de Watford, Inglaterra, por Ester Cotton.


4 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Lê, não imaginas como te admiro a cada dia!!! Que força, que coragem! Estou acompanhando o blog, aprendendo muito e amando tudo. Bjos a todos e até a volta. Flavinha

5:28 PM  
Anonymous Vanessa Tiscoski said...

OI Letícia! Quando participei do IV FAPS em Blumenau através do IGK a D. Alice já havia comentado com a nossa equipe de trabalho sobre a E.C. e
num congresso estadual das APAE`s em Balneário Camboriu tive a oportunidade de participar de uma palestra sobre o tema, exposto por um condutor, gostei muito da idéia, acredito que seja realmente um método muito inteligente e eficaz. Como trabalho há muito tempo com crianças deficiêntes gostaria de aprimorar meus conhecimentos a respeito da EC. Admiro seu empenho e disposição e desejo que tenhas muito energia para continuar este trabalho que com certeza ajudará muitas outras famílias. Quando voltares gostaria de conversar mais com você, em quanto isso...acompanharei seu blog. Parabéns. Grande abraço.Vanessa Tiscoski (Amiga da Bilela).

10:57 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Oi Vanessa! Vamos nos encontrar sim! Assim que der!

4:38 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Flavinha, adorei a visita! Que bom que estou te proporcionando AMOR, era mesmo isso que eu queria! (risos) Com muito amor, escrevo sempre que tenho força! hehe

4:39 PM  

Post a Comment

<< Home