Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Wednesday, September 30, 2009

coragem x vantagem


Foi durante um ano que minha filha mais nova vinha me pedindo para "casar de novo e ter um bebê". Foi com muita coragem e com sobra de vantagem que pensei em engravidar dela, pela segunda vez.

Foi vendo uma matéria na TV sobre macacos que decidi. Os macacos de um zoológico aprenderam a limpar sua cela com balde, pano e esfregão - apenas observando o servente. Certamente ela seria um estímulo para meus gêmeos com paralisia cerebral.

Não errei, ela é um super estímulo, não somente para eles, mas como para nós, pais. Que fácil é ter bebê a termo! Já vem com software instalado! Nestes cinco anos ela certamente é a melhor terapia que meus filhos já fizeram. Muitos me dizem que é preciso ter coragem, e eu sinceramente não entendo esta colocação. Coragem? Eu tenho é vantagem.

E com larga vantagem decidimos engravidar novamente. No dia 17, nasceu meu quarto filho. Uma bênção! Estranho é observar as narinas minúsculas e relembrar tantas memórias que estão gravadas erroneamente em minha história de vida. Eu achava que o `desenho` das fossas nasais em meus meninos era o formato da sonda que estava entalada naquele micro nariz em todos os longos momentos de uti. Em casa observava atentamente e via ali ainda o formato daquela cânula. As veias avermelhadas que circundam a entrada do ar, na minha mente, também eram resultado do entra e sai de sonda.

Sete anos se passaram, mesmo tendo uma segunda gravidez, somente agora percebo que o formato do nariz é mesmo assim: redondinho por dentro, sem pelinhos e eventualmente com veinhas vermelhas ao redor, devido a pele tão clarinha. A pele do tornozelo descamando, e as dobrinhas ali bem marcadas, também são resultado de "apenas um pé", e não da manipulação de enfermeiras em busca de veias para introduzir antibiótico na melhor veia.

O tempo apaga marcas? Sim, mas ele grava marcas erradas também! Não pense que o que está ali dentro gravado como verdade, é. É preciso corrigi-las. Com tempo.

11 Comments:

Blogger Dinha said...

Parabéns pela abençoada chegada do André, Letícia! Que dia lindo para nascer... sou apaixonada pelo mês de setembro, sempre quis ter um filho neste mês....
Tens muita razão e propriedade em teu texto. Eu estou tentando viver um processo de libertação. Porque durante os últimos anos me condicionei à achar que Caio "sofre mais" pela paralisia. Não é assim. Este final de semana ele teve sua primeira amigdalite. Teve um febrão que não cedia, me vi apavorada. Levei à emergência e a constatação foram meras placas na garganta. Será? me pergunto desconfiada. Custo a lembrar que assim também foi com meu Yuri, o menino que nunca adoecia, mas que também passou pelas etapas normais da infância. Como o Caio passa e seguirá passando...
Como tantas coisas, precisamos aprender.
Um beijo, sempre com amor.

4:28 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Dinha,
... era somente uma amidalite né ...
Nós aprendemos a resolver nosso problemas com muito mais facilidade não é?

Um beijo super mãe! Seu Yuri é um sonho, não esqueço dele. Caio um doce.

Com amor,
Leticia

10:44 AM  
Blogger Rita Branco said...

Amiga Letícia,

Você é mesmo um exemplo de força!
E que sabedoria você anda adquirindo neste teu caminho, hein?
Caminho de Luz!
Beijos, boa semana!
Ou melhor, Bom Dia!
Afinal...um dia de cada vez.

3:23 PM  
Anonymous Letícia Bottcher said...

Lee..
Saudades do Gaga, Lele, Larissa e vcs..
Passei aqui pra dizer que estou muito feliz com a chegada de mais um fofo!! Imagino a felicidade de vcs!! Desejo tuudo de melhor, sempre, pra vcs!!!
Beijos pra Marilina, Tomelin (nunca mais os vi) Saudades..
Beijos a todos!!!
Le

3:31 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Ziza!
Quanto tempo... Estava revendo as fotos do nascimento da Larissa esta semana e lembrei muito de ti..
Sintonia legal!
Um beijo!

10:18 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Rita!
Bom te ver aqui, desde terras portuguesas...
Beijo, amei a fotografia!
Leticia

10:20 AM  
Anonymous Anonymous said...

Oi, Letícia! Fiquei muito feliz com a chegada do querido André!Tenho uma filha Fernanda de nove anos,tem uma saúde fantástica! No ápice da minha loucura no início nas inúmeras buscas de recuperaçao da paralisia cerebral dos meus trigêmeos fui assistir a uma aula de ballet da Fê.Fiquei impressionada com o que as professoras exigiam dela ( alogamentos, flexões...). No rosto dela via a expressão de desconforto pela exigência, mas também de satisfação pelas conquistas. Saí dali convicta que os pequeninos precisavam de "aulas de ballet" com aquelas...Eu precisava deixar de pensar no sofrimento e lembrar somente do esforço que é necessário sempre para superarmos qualquer tipo de dificuldade. Certamente ter outros filhos nos retira das ciladas que vivências sofridas nos impõem. Um grande abraço, Luciane Lubianca.

9:16 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Luciana,
Nós não queremos nossos filhos em casa o dia inteiro assistindo TV, queremos? Vamos colocar todos eles em algum tipo de ballet !

Aliás e vamos nos dar mais tempo para assistir uma simples aula que traz recompensa e gratificação.

Um beijo com amor,
Leticia

7:20 AM  
Anonymous Roberta said...

Querida Letícia...
Não posso acessar a internet sempre, mas sempre que posso venho te ver (o que você escreve mostra quem você é...),tava com saudades! Como em quase todas as vezes, expressarei aqui muito do que li desde a ultima vez.
Estou emocinada, fazia tempo que não chorava de alívio e alegria. Aqui encontro Força, superação, simplicidade, realidade, verdade!
Parabéns pelos seus pequeninos!!
A foto que antecedeu seus dizeres me tocou o coração, é... ela expressava suas palavras. Obrigada por você dividir tanto conosco, e ensinar a quem quer aprender tantas coisas inerentes a nossa existência!
Beijo Grande,
Com Carinho!

8:02 PM  
Blogger Gabi said...

Realmente, muitos te chamam de louca por ter 4 filhos, mas tenho certeza que eles são e serão sempre a melhor terapia e a melhor companhia para o Lelê e o Gagá. Tu tira de letra a criação dos 4, és um exemplo pra mim!
Beijosss
Gabi

2:23 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Gabita,
vamos lá que estás chegando perto dos 4 também. Filhos só nos fazem crescer... Com coragem!
Beijos comadre.
Leticia

10:20 AM  

Post a Comment

<< Home