Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Saturday, August 09, 2008

Dias sem cor ...


Em dias que estou fraca, com uma gripe qualquer, sinto minha energia sendo roubada. Me sentindo ausente de sentimentos, tenho as expressões paralisadas e as falas sem pontuação. Vejo o mundo cinza.

Essa gripe parece uma ressaca. Ressaca de uma avalanche de emoções que se acumulam ao longo de nosso dias e que em algum momento, pedem pausa e repouso para nosso organismo.

São nestes dias sem cor, sem energia e sem sentimentos, que com meus movimentos em câmera lenta, não conseguindo atender nem um nem outro, vejo meus filhos com olhos de bruxa.

O repouso quando respeitado também permite uma reavaliação de atos, palavras, cenas, momentos, histórias, vivências, lutas, ganhos e perdas passadas.

Na minha rotina multi-tarefa, não me aceito neste ritmo, não me permito esta pausa. Ainda assim busco uma energia pobre para conseguir a realização de uma atividade ativa, um passo voluntário, uma palavra vocalizada. Embora desista.

No entanto são estes momentos de pausa que nos permitem perceber sem se envolver, não por desinteresse mas por total falta imeditada de ação. Essa pausa cinza lembra que já passamos momentos difíceis, muito mais.

Nesta pobre energia deste dia de ressaca, com uma chuvinha pingando incessante na rua, com meus olhos pesados e meu coração apertado, comemoro um importante momento:
... Meus filhos não tomam medicação, nenhuma. Eles são aquilo que se parecem ser, com suas emoções verdadeiras e reações naturais, em seu mundo de cor.

Neste meu mundo cinza, não posso esquecer dos dias de medicação, dos horários, da dosagem exata, dos efeitos colaterais, das crises de abstinência, das medicações indevidas, dos testes ineficientes, das drogas desnecessárias. Aqueles sim eram dias sem cor...

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Conheço estes dias sem cor, sinto estes dias...como dizes, eles acabam passando.Ficam nossos filhos, saudáveis, cheios de possibilidades. Um abraço Luciane Lubianca.

8:10 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Luciane,
Compartilhando de sentimentos, momentos e passatempos, acabo sendo afetada pela energia que me empurra...
Felizmente elas passam!
E nossas coisinhas ricas estão aí para confirmar, repletos de possibilidades :)
Um beijão
Leticia

2:05 PM  

Post a Comment

<< Home