Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Wednesday, December 12, 2007

No dia seguinte


Aprendo com o adestramento da Malu, minha cachorra pastor alemão. Ela aprende com a rotina que lhe é oferecida, com ordens que vão se complicando a cada dia. Ela repete as anteriores e adquire novas. Fico feliz em vê-la aprendendo, organizando seus pensamentos e ações. Sei que não adiantam somente os 40 minutos do adestrador, é preciso que eu faça a minha parte.

No dia seguinte, enquanto ele não está, aprendemos juntas. Dar continuidade ao adestramento não é fácil, uma nova rotina, uma nova função. Sem a continuidade, ela perde a chance de aprender mais e eu a chance de ter minhas almofadas inteiras e no lugar.

Vejo as andorinhas em volta de seu ninho preocupadas com os filhotes que estão aprendendo a voar. Elas voam em pequenos círculos. Dão apenas uma voltinha e retornam de volta ao ninho. Uma de cada vez, respeitando a ordem do grupo. Algumas mais audazes fazem o círculo um pouco maior e imediatamente retornam ao ninho. De tempo em tempo todas aumentam o círculo e vão dançando incansáveis no mesmo palco.

No dia seguinte elas estão em outro local, experimentando um pouco mais de riscos. Os círculos agora transformam-se em pequenos ensaios até outras árvores. A ordem já não é mais respeitada, parece que todas querem voar juntas, e mostrar que aprenderam. Deixam a impressão de que já não precisam mais de seus pais.

Vejo meus filhos realizando diariamente as atividades da Educação Condutiva. Respondem aos programas usando força, equilíbrio, resistência e atenção. A cada dia melhoram sua velocidade, seu condicionamento, alongamento e coordenação. Na sala, dentro do grupo, têm uma disciplina que não é a mesma que temos em casa, nem por parte minha, nem por parte deles.

No dia seguinte, em casa, já não sei se estou apta para seguir a rotina que eles sabem de cor. Nem sei se tenho eu força, equilíbrio, resistência ou atenção. A cada dia são eles que me ensinam mais, não me deixam esquecer que eu também preciso de alongamento, condicionamento e coordenação para seguir em frente.

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Suas inquietações e manifestações escritas neste Blog, nos mostarm cada vez mais seu elevado "crescimento" pessoal, no que tange seu Universo Familiar e suas angústias pessoais.
Tens feito manifestações secritas maravilhosas....

Márcio

6:14 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Márcio,
Este blog pode parecer falar somente de Educação Condutiva, mas na verdade ele é sim a minha experiência com a vida. A vida de meus filhos, de minha família e a minha.
Acredito que a filosofia que meus filhos estão tendo a oportunidade de experimentar, reflete cada um dos momentos de nossas vidas. Da minha, da sua, de todos nós.
Talvez eles em sua condição consigam viver a vida de forma ainda mais intensa, enfrentando desafios em suas vidas diárias que talvez não tenhamos a oportunidade de viver ou passar por eles algum dia. Mas através deles - nós podemos aprender. As manifestações são sim propositais, mesmo que não estejam claramente descritas.
Admiro a sua sensibilidade .
Um beijo com amor,
Leticia

7:33 AM  

Post a Comment

<< Home