Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Saturday, November 24, 2007

Tapetes Coloridos


Chego em casa depois de um dia cheio de atividades e meu filho me faz um convite: quer saber se tem alguma encomenda no correio. Me pede para irmos juntos até a caixa do correio, que fica há uns 100 metros de onde estamos. Tento mudar os planos dele, mas sem sucesso acabo indo com ele. Caminhando, claro. Ele quer dar seus próprios passos, se esforça muito. O dia dele, ainda mais intenso do que o meu, depois de três horas e meia de educação condutiva e mais quatro horas de educação regular, sou eu que pareço cansada em chegar até nosso destino.

No meio do caminho ele para para admirar os tapetes no chão, na empolgação da novidade olha nos meus olhos e elogia a beleza do tapete vermelho, do amarelo e ainda um roxo. São as flores dos flamboyant e ipês que enfeitam o chão e deixam um aroma gostoso no ar. Ao mesmo tempo que ele se admira da beleza da natureza, para olha pra mim e reclama:
- Como esse portão está longe hoje mãe!

Mas ele não descansa, tem um objetivo, chegar até a caixa do correio. Ele tenta, vai até lá procurar sua encomenda. Ao abrir a caixa, nada. Ele não se frustra, era apenas uma brincadeira. Uma brincadeira de saborear o caminho. Agora já podemos voltar e passar de novo pelos tapetes coloridos.

Tudo o que é bom dura o bastante para ser inesquecível, alguém disse isso. E não custa reforçar. Cada momento que vivemos com nossos filhos, aprendendo com eles, no limite de sua condição, buscando realizar um objetivo é mais do que bom, é pleno. O fim daquele destino nem era a tal encomenda imaginária, mas o passeio até ele. Muitas vezes perdemos os detalhes dos ricos momentos que vivemos no caminho, porque estamos somente pensando no destino final.

Vamos nos organizar para cada vez mais conseguir saborear cada momento de nosso caminho.

5 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Parabens por tanta sensibilidade,minha filha!!!!AH o Leonardo.....COMO DISSE ALGUEM "O CAMINHO SE FAZ AO CAMINHAR..." BEIJOS BOA SEMANA!!!

6:40 PM  
Anonymous Anonymous said...

Querida Letícia!
Esta sua história me fez recordar de uma poesia sobre um dos grandes clássicos da literatura de todos os tempos. "A Odisséia", escrita por Homero, narra a volta do herói Ulisses até a ilha de Ítaca, onde sua esposa, Penélope, o espera há mais de uma década. Embora cortejada dia e noite por homens que afirmam terem visto seu marido morrer em combate durante a guerra de Tróia, ela não perde as esperanças; Ulisses passa por todo tipo de desafio, mas termina voltando ao lar.
Muitos séculos depois, um outro poeta grego, Konstantinos Kavafis, abordaria de maneira diferente este caminho de volta, criando uma das mais belas metáforas da jornada em busca de nossos sonhos. Enquanto na "Odisséia" o drama se concentra nas dificuldades de chegar, e no sofrimento da mulher amada, na poesia de Kavafis ele pede exatamente o oposto a Ulisses: que aproveite o caminho, e viva tudo o que precisar viver.
A seguir, trechos da obra-prima de Kavafis:
"Quando você partir, em direção a Ítaca,
que sua jornada seja longa
repleta de aventuras, plena de conhecimento.
Não tema Laestrigones e Cíclopes
nem o furioso Poseidon;
você não irá encontrá-los durante o caminho,
se você não carrega-los em sua alma,
se sua alma não os colocar diante de seus passos.
Espero que sua estrada seja longa.
Que sejam muitas as manhãs de verão,
e que o prazer de ver os primeiros portos
traga uma alegria nunca vista.
Procura visitar os empórios da Fenícia
e recolha o que há de melhor.
Vá as cidades do Egito,
e aprenda com um povo que tem tanto a ensinar.
Não perca Ítaca de vista,
pois chegar lá é o seu destino.
Mas não apresse os seus passos;
é melhor que a jornada demore muitos anos
e seu barco só ancore na ilha
quando você já estiver enriquecido
com o que conheceu no caminho.
Não espere que Ítaca lhe dê mais riquezas.
Ítaca já lhe deu uma bela viagem;
sem Ítaca, você jamais teria partido.
Ela já lhe deu tudo, e nada mais pode lhe dar.
Se, no final, você achar que Ítaca é pobre,
não pense que ela lhe enganou.
Porque você tornou-se um sábio, e viveu uma vida intensa,
e este é o significado de Ítaca."
Desejo que toda a tua família aproveite o 'caminho'.
Com carinho,
Nicole

9:02 AM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Nicole,

Obrigada por ter enriquecido aqui esta história de Homero. Amei esta Ítaca, ela me faz ser o caminho. Adicione sempre!

Um beijo com amor,
Leticia

1:09 PM  
Anonymous Gabi said...

Lindo! Lindo isso Lê... realmente, eles inventam alguma coisa só para estar com a gente e as vezes a gente não percebe que vai descobrir tantas coisas no caminho...
Beijossss

9:19 AM  
Anonymous JULIANA BARACUHY said...

GAROTO ESPERTO E DECIDIDO! ELE DESEJO E LUTA. ASSIM QUEBRA BARREIRAS DIARIAMENTE. ESSES MOMENTOS DEVEM SER MUITO FELIZES...

FORÇA SEMPRE, JULIANA BARACUHY.

10:59 PM  

Post a Comment

<< Home