Educação Condutiva - com amor

Quero escrever sobre Educação Condutiva porque me apaixonei por este método, cheio de amor, que tem atendido aos meus filhos com p.c. Quero descrever o que tenho estudado, aprendido, escutado e sentido ... Tenho a vontade de abraçar o mundo e fazer com que todas as crianças na mesma condição motora de meus filhos, tenham a chance de receber toda esta inteligência, técnica, forma de agir, pensar e sentir, que com todo carinho o Dr. Andras Peto deixou de herança.

Tuesday, September 21, 2010

Mágoa


Meu passado tem história de erro, descuido, incompetência. Situações que provocam desgosto, ódio e mágoa. Para que me serve guardar estes sentimentos? Minha história poderia ter sido diferente... Poderia, mas não foi. O meu presente é este, não adianta viver imaginando como seria... Se não é.

Guardar mágoa, rancor, raiva, só deixa a nossa alma / nosso corpo / nossa vida, mais pesada. O outro nem sabe o que estamos sentindo, muitas vezes nem entende o porquê de nossas reações.

Estar livre deste peso dentro de nós só nos fará mais feliz. Eu reprimo meus filhos quando, por qualquer reação dizem: - Eu odeio. Esta palavra é muito forte e odiar não é um bom sentimento. O ódio faz mal a quem sente... Não que deixaremos de sentir aquela sensação, mas peço que substituam as palavras por outras mais amenas. Eu não reprimo somente aos meus filhos, mas reprimo a mim mesma, para estar atenta a não guardar sentimentos ruins e poder emanar sentimentos bons, para mim e para os que estão em sintonia comigo. É um treino. Uma constante.

Sentir-se bem, ser feliz, estar livre de pesos, ser assim como eu sou, é a parte mais importante de nossa vida. Da minha, da sua. E este é o maior obstáculo que vejo na educação dos meus filhos. Aprender a amar-se assim como eu sou, aceitar minhas limitações, aprender com elas. Viver com elas. Ensina-los a não sentir mágoa, rancor, ódio: este é um grande desafio.

Viver na sombra só me apaga daquilo que eu verdadeiramente sou. A espontaneidade que brota com alegria de dentro do meu ser, muitas vezes é podada, reprimida. Vamos manter nossa espontaneidade, ela é inconsciente, pura e verdadeira.

2 Comments:

Blogger Néa e Arthur said...

Oi Lê,concordo plenamente com tudo que escreveu.O ódio,raiva,rancor,mágoa nos fazem mal e nos impede de sermos felizes!O amor sempre vale a pena e faz toda diferença na observação do ser humano.
Beijos

10:53 PM  
Blogger LeticiaBúrigoTK-1288 said...

Néa,

O amor brotando dentro de cada um de nós, todos os dias.. ai que bom sentimento nos traz.

Com amor,
Leticia

10:04 AM  

Post a Comment

<< Home